Doença diarreica aguda em menores de 5 anos em um hospital da fronteira do Brasil

  • Heluza Monteiro De Oliveira Universidade Federal do Amapá – Campus Binacional do Oiapoque, Macapá, Amapá, Brasil http://orcid.org/0000-0002-6153-4562
  • Kênia Richlli Barros Gomes Universidade Federal do Amapá, Acadêmica de enfermagem, Macapá, Amapá, Brasil
  • Cecília Rafaela Salles Ferreira Universidade Federal do Amapá, Divisão Básica de Saúde, Macapá, Amapá, Brasil https://orcid.org/0000-0001-6366-3440
  • Caroline Raissa Salles Ferreira Universidade Federal do Amapá, Mestrado em Ciências da Saúde, Macapá, Amapá. Brasil https://orcid.org/0000-0003-2591-0011
  • Veridiana Barreto do Nascimento Universidade Federal do Amapá – Campus Binacional do Oiapoque, Amapá, Brasil http://orcid.org/0000-0003-4655-9670
  • Wanderson Willian Dos Santos Dias Universidade Federal do Amapá, Enfermagem, Grupo Hospitalar Conceição – Porto Alegre, RS, Brasil
Palabras clave: Diarreia, Diarreia infantil, Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância.

Resumen

Objetivo: analisar a frequência de doenças diarreicas agudas (DDA) em crianças de 0 a 5 anos de idade assistênciado no período de janeiro a dezembro de 2017 no Hospital Estadual situado na fronteira franco brasileira. Materiais e Métodos: pesquisa documental com abordagem quantitativa. A coleta de dados ocorreu a partir dos dados obtidos no Serviço de Arquivo Médico e Estatística do Hospital Estadual de Oiapoque, em prontuário, levando em consideração as seguintes variáveis: Sexo, idade, história pregressa, peso, sinais e sintomas, identificação do tipo de diarreia (com sangue ou não), exames laboratoriais e manejo farmacológico e não farmacológico. Resultados: A amostra foi constituída por 602 prontuários analisados de paciente atendidos na faixa etária de 0 mês à 5 anos com sinais e sintomas de DDA. Dos 602 pacientes, 60 (10%) foram internados no período do estudo, com confirmação diagnóstica de DDA com sintomas de desidratação e 8 (1,3%) pacientes com diarreia associado a pneumonia, com idades de 1 mês e 14 dias a 5 anos de idade. Conclusão: Os dados obtidos estão de encontro com a literatura que aponta para fatores atrelados a ocorrência da doença, aspectos socioeconômicos, culturais, e neste caso principalmente ambientais e de infraestrutura, com problemas comuns que ainda afetam os países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento.

Biografía del autor

Heluza Monteiro De Oliveira, Universidade Federal do Amapá – Campus Binacional do Oiapoque, Macapá, Amapá, Brasil

Universidade Federal do Amapá, Docente da Universidade Federal do Amapá – Campus Binacional do Oiapoque, Macapá, Amapá, Brasil

Kênia Richlli Barros Gomes, Universidade Federal do Amapá, Acadêmica de enfermagem, Macapá, Amapá, Brasil

Universidade Federal do Amapá, Acadêmica de enfermagem, Macapá, Amapá, Brasil

Cecília Rafaela Salles Ferreira, Universidade Federal do Amapá, Divisão Básica de Saúde, Macapá, Amapá, Brasil

Universidade Federal do Amapá, Divisão Básica de Saúde, Macapá, Amapá, Brasil

Caroline Raissa Salles Ferreira, Universidade Federal do Amapá, Mestrado em Ciências da Saúde, Macapá, Amapá. Brasil

Universidade Federal do Amapá, Mestrado em Ciências da Saúde, Macapá, Amapá. Brasil

Veridiana Barreto do Nascimento, Universidade Federal do Amapá – Campus Binacional do Oiapoque, Amapá, Brasil

Universidade Federal do Amapá, Enfermagem, Docente da Universidade Federal do Amapá – Campus Binacional do Oiapoque, Amapá, Brasil

Wanderson Willian Dos Santos Dias, Universidade Federal do Amapá, Enfermagem, Grupo Hospitalar Conceição – Porto Alegre, RS, Brasil

Universidade Federal do Amapá, Enfermagem, Médico Residente Do Grupo Hospitalar Conceição – Porto Alegre, RS, Brasil

Citas

Asmus, F.G., Seixas, C.R.S. & Gonzalez, E. 2007. Diarreias Agudas em Caraguatatuba: Situação Epidemiológica e Sugestões para Monitoramento. Saúde Meio Ambiente. 6(1):71-84.

Brasil. Ministério da Saúde. 2017. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação-geral de Desenvolvimento da Epidemiologia em Serviços. Brasília.

Brasil. Ministério da Saúde. 2017. Doença Diarreica Aguda. Brasília.

Brasil. Ministério da Saúde. 2016. Coordenadoria de Vigilância em Saúde – CVS/AP. Grupo Técnico das Doenças de Veiculação Hídrica, Alimentar e do Solo. Brasília.

Brandt, K. G., Antunes, M. M. C. & Silva, G. A. P. Diarreia aguda: manejo baseado em evidências. J Pediatr.91(6 Suppl.1), p.36-S43.

Cesario, R. R. & Tavares-Neto, J. 2006. Prevalência de diarréia na população do Distrito Docente-Assistencial do Tucumã, Rio Branco, Estado do Acre, Brasil, em 2003. Epidemiol Serv Saude. 15(3), p.19-28.

Dias, D. M., Silva, A. P., Helfer, A. M., Maciel, A. M. T. R., Loureiro, E. C. B., Souza, C. O. 2010. Morbimortalidade por gastroenterites no Estado do Pará. Rev Pan-Amaz Saude. 1(1):53-60.

Dulgheroff, A. C. B., Figueiredo, E. F., Gouvêa, V. S., Domingues, A. L. S. 2014. Changes in epidemiology of rotavirus in the Triângulo Mineiro region of Brazil: lack of two consecutive rotavirus seasons. Braz J Med Biol Res, 47(12), p.1091-5.

Façanha, M. C. & Pinheiro, A. C. 2005. Comportamento das doenças diarréicas agudas em serviços de saúde de Fortaleza, Ceará, Brasil, entre 1996 e 2001. Cad. Saúde Pública. 21(1):49-54.

Farias, A.M. & Paz, M. C. F. 2016. Importância do Saneamento Básico na Prevenção de Doenças Diarreicas: Uma Revisão Integrativa. CONBRACIS, Campina grande.

França, E. B., Lansky, S., Rego, M. A. S., Malta, D. C., França, J.S., Teixeira, R., Porto, P., Almeida, M. F., Souza, M. F. M., Szwarcwald, C. L., Mooney, M., Naghavi. M., Vasconcelos, A. M. N. 2017. Principais causas da mortalidade na infância no Brasil, em 1990 e 2015: estimativas do estudo de Carga Global de Doença. Rev. bras. epidemiol. 20(Supl. 1):46-60.

Gomes, L. O., Matos, H. J., Silva, M. C. M., Loureiro, E. C. B., Macarenas, J. D’ARC. P., Gabbay, Y. B., Rocha, D. C. C. 2017. Aspectos epidemiológicos das enteroinfecções bacterianas em menores de 5 anos de idade em Rio Branco, estado do Acre, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude. 8(4).

Gomes, I. C., Mota, M. L. & Damacena, M. C. S. 2014. Epidemiologia das Doenças Diarreicas Agudas no CARIRI – CE. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia.;2(2).

Miyashita, N., Akaike, H., Teranishi, H., Kawai, Y., Ouchi, K., Kato, T, et al. 2013. Diagnostic value of symptoms and laboratory data for pertussis in adolescent and adult patients. BMC Infect Dis. 13(1).

Porcy, C., Ferro, T. A. F., Monteiro, S. G., Menezes, R. A. O., Barbosa, F. H. F., Monteiro Neto, V. 2013. Epidemiologia da Doença Diarreica Associada às Escherichia coli Diarreiogênicas em Crianças Residentes em uma Área Alagada de Macapá – Amapá, Brasil. Ciencia equatorial 3(1):57-68.

OMS. Organização Mundial de Saúde. 2017. Protecting, promoting and supporting breastfeeding in facilities providing maternity and newborn services Guideline.
UNCF. United Nations Children’s Fund. 2016. Levels and Trends in Child Mortality.

Silva, M. F., Gómez, M. M., Rose, T. L., Volotão, E. M., Carvalho-Costa, F. A., Bello, G. et al. 2013. Lineages of group A rotaviruses circulating over 20 years in Brazil: proposal of six different sub-lineages for P[8]-3 clade. Infect Genet Evol. 16, p.200-5.

Sociedade Brasileira de Pediatria. 2017. Diarreia aguda: diagnóstico e tratamento. Departamento Científico de Gastroenterologia.

Sousa, C. O., Melo, T. R. B., Melo, C. S. B., Menezes, E. M., Carvalho, A. C., Monteiro, L. C. R. 2016. Escherichia coli enteropatogênica: uma categoria diarreiogênica versátil. Rev Pan-Amaz Saude. 07(2).

Viana, R. L., Freitas, C. M. & Giatti, L. L. 2016. Saúde ambiental e desenvolvimento na Amazônia legal: indicadores socioeconômicos, ambientais e sanitários, desafios e perspectivas. Saude soc. 25(1): 233-246.
Publicado
2020-01-27
Cómo citar
Monteiro De Oliveira, H., Barros Gomes, K., Salles Ferreira, C., Salles Ferreira, C., Barreto do Nascimento, V., & Dos Santos Dias, W. (2020). Doença diarreica aguda em menores de 5 anos em um hospital da fronteira do Brasil. Revista Científica Del Amazonas, 3(5), 30-40. Recuperado a partir de https://revistadelamazonas.info/index.php/amazonas/article/view/28
Sección
Articles